27.8.16

meu ronio

O que é que as minhas células mais especiais e mais livres — os neurônios — querem agora?

26.8.16

filho do big bang

Naqueles tempos, Ele era Um dentre muitos pregadores. Mas se destacou pelo estilo. Pela criatividade. Garantia ser filho direto do Criador do Big-Bang. Suas propostas eram radiciais. Dizia ser impossível servir a dois senhores ao mesmo tempo. Olhai as aves do céu: não colhem nem armazenam. Olhai os lírios do campo, que não tecem nem fiam, e o Senhor tudo lhes provê. Eu não vim trazer a paz, eu vim trazer a guerra. Gananciosos não merecem conhecer o céu. Deus está lá, onde está o teu coração. Ele falava coisas assim, meio malucas... Ele adorava metáforas e parábolas. Expulsou negociantes do templo. Esqueceu que era filho de um pobre marceneiro e de uma dona de casa. Os irmãos o detestavam. Transformou água em vinho branco. Beijava Madalena em público. Ouvia vozes. Fazia milagres. Mais fácil um camelo passar por não sei onde. Nunca escreveu nada: suas palavras eram jogadas ao vento. Só quem tem ouvidos que as ouça. Ficava insultando meio mundo. Um dia o levaram ao topo da montanha e quase o jogaram precipício abaixo... Eu gosto desse cara. Notadamente por suas maravilhosas idéias de grandeza, era um gênio. Acho até que vou convidá-Lo para sentar-se aqui — ao meu lado direito.

25.8.16

rede amarela

Desarmo na beira da praia a rede amarela e me lembro de Artaud. E do meu avô Joaquim, o carroceiro — que sequer conheci. Artaud você sabe quem foi, e meu Vô Joaquim é aquele que gastava uma semana inteira para juntar os ingredientes da macarronada de domingo. Uma história triste e bela ao mesmo tempo. Ficou louco, o coitadinho. Mas ficou louco do lado errado... Depois eu conto a respeito. Ficar louco é muito fácil. Mas só a loucura brilhante é que nos leva ao templo da sabedoria. Por isso é que, entre a sensatez paralítica das coisas normais e a loucura poética daquilo que excita — fico com esta, naturalmente!

24.8.16

sofismas

MINHA ALEGRIA É INVULNERÁVEL

Quando alguém expressa um pensamento com o qual eu não concordo — sobre mim ou sobre a vida, sobre amor ou religião, sobre a Dilma ou futebol — não me sinto nem um pouco ofendido. Afinal, são milhares de pessoas pensando e emitindo opiniões a respeito dos mais variados assuntos. Via de regra, são pessoas que pensam que pensam. A maioria nunca leu Platão e não sabe sequer ligar duas premissas. Portanto, seria insensato estressar-me a partir dessas alheias conclusões. Respeito as opiniões, mas deixo-as onde estão, pois seria um absurdo condicionar o meu humor a esses múltiplos estímulos. Minha alegria é invulnerável. Sofismas não me atingem. Cada um de nós é um ser único. O que é bom para o outro pode ser péssimo para mim — e vice-versa. Cada um de nós pensa com sua própria cabecinha. Suponho. E sugiro que você encare as críticas também da mesma forma.

Mas ainda estou pensando sobre o melhor modo de expressar esse meu raciocínio.

23.8.16

otimismo


O otimista sempre escolhe o lado mais gostoso e alegre do caminho. O pessimista se afunda no triste lamaçal do desespero, ou — o que é pior — da esperança irracional.

22.8.16

separem se no pico

A memória de um Amor brilhante é muito melhor que o risco de vê-lo morto, estrebuchando no meio da relação. Portanto, respeitem o seu próprio coração: separem-se no pico!

21.8.16

jesus na cruz

Dizem que tem aí um arruaceiro que vive se metendo em belas encrencas. Anda sempre em companhias duvidosas e até já foi condenado pela Justiça. É contra o casamento e rejeita seriamente a hipocrisia. Os conservadores o detestam. Vive contestando a Autoridade. Dizem que ele costuma beijar uma adolescente em público, cujo nome é Madalena. Nunca trabalhou — mas festa é com ele mesmo. Dizem que é bonito, cabeludo e adora dançar... Corre até um boato que na semana passada, a pedido da própria mãe, chegou a transformar água em vinho branco. Deve ser um feiticeiro genial. Um poeta, um mago, talvez um deus! Dizem que ele trepa num caixote de madeira ali na praça, e fica falando coisas que ninguém entende, criando parábolas mirabolantes:
"Olhai os delírios do campo..."

Dia desses o viram balançando numa cruz.

20.8.16

marques e morin

O Homo Sapiens é um ser instável e de amor imenso,
Que ri e chora — e se angustia até sem dor.
Um ser gozante, passageiro, embriagado, inteiro, amante.
Invadido pela doce eterna liberdade, conhece a vida e nela crê.
Um ser que abraça o mito e a magia e se deixa penetrar por espíritos e deuses.
Que se alimenta de ilusões e de quimeras, de feijão e de poesia.
Um ser errante cujas relações com o mundo objetivo só são subjetivas.
Bailarino e questionante, dança o tempo todo envolto em devaneios.
Um ser que se conduz numa infinita e necessária gostosura.
E como chamamos de loucura àquela conjunção da ilusão e do desconhecido,
do instável, da incerteza entre o real e o imaginário,
da confusão vitoriosa entre o subjeto e o sujeito;
da questão irrespondível da Teoria do Acaso e da desordem
— só nos resta concluir que esse Homo Sapiens é um Homo Sapiens Demens.

O texto acima foi inspirado num poema de Edgar Morin.

18.8.16

its just me

Ontem, no trânsito, dirigindo na avenida da praia, tive um insight: aquele "idiota" que ocupava o meu corpo não era Eu: era um "outro", que ali estava a caminho do trabalho alienado — numa desesperada pausa da própria vida. Estava indo vender o meu tempo para uma pessoa que possui uma estupidez monumental. Falar de negócios com alguém que nunca deve ter lido um poema de amor é um horror. Uma coisa que eu às vezes preciso suportar. Porém, logo mais, à noite, eu voltaria a ser Eu — e viveria como mereço e posso. Encheria uma taça com gelo picado e Absinto, colocaria talvez Jon Bon Jovi a dizer-me It's Just Me, chamaria os meus amores, um por um, e depois entraria delicadamente no Oceano Atlântico. E ficaria olhando a nova lua nova por toda a eternidade...

17.8.16

ataque defesa

Você pode até achar que não tem opressores — mas tem, sim. E para lutar contra eles, estrategicamente, o melhor ataque é a defesa da liberdade. Quando você começa a defender a liberdade com uma certa veemência, os opressores já colocam suas manguinhas de fora...

15.8.16

se voce tem filha

Quando os pais não valorizam a própria Liberdade e não incentivam a filha a dizer NÃO — nem lhe concedem o SAGRADO DIREITO de fazer escolhas — ela se tornará uma mulher submissa, sem graça e sem criatividade. Aceitará tudo o que lhe diz o pastor; vai seguir cegamente o que lhe manda o namorado; não questionará jamais o professor; terá medo de qualquer mudança — e certamente vai arranjar um marido ciumento e babaca. Caso não vire apenas uma dona-de-casa desanimada, talvez consiga um emprego de segunda classe no subúrbio.

Viverá de cabeça baixa pelo resto da vida.
Jamais será independente.

Se você tem filha — ou é uma — pense nisso!

13.8.16

quando os pais

Quando os pais não defendem a própria Liberdade mútua, e não ensinam com amor o seu filho a dizer "não" — nem lhe permitem o sagrado direito de fazer escolhas — o coitadinho se tornará um bichinho obediente, digno de dó. Acabará aceitando tudo o que lhe diz o padre ou o pastor; não questionará os professores; vai seguir sempre o que lhe manda a namorada; terá medo de tomar decisões; será sempre subordinado a chefes babacas ou autoritários; e provavelmente vai se casar com uma mulher ciumenta e de pouquíssima cultura.

Viverá com o rabo no vão das pernas pelo resto da vida.
Jamais será um líder.

Se você tem filho — ou é um — pense nisso!

12.8.16

metodo cientifico

Para se descobrir a verdade não existe método mais eficiente do que o pensamento científico. E se existisse — a Ciência já o teria incorporado. A Ciência é viva porque questiona todas as teorias e questiona-se a si mesma. Aliás, uma teoria só é boa quando nos permite ultrapassá-la. Mas, o que vem a ser uma teoria? Basicamente, uma teoria é um conjunto de conhecimentos não muito ingênuos, filosoficamente sistematizados — com alguma credibilidade — e que se propõem explicar, analisar, interpretar, ou até mesmo unificar um determinado universo de fenômenos ou de acontecimentos. Se o assunto te interessa, leia um pouco de Filosofia. Mais tarde eu volto.

11.8.16

jamais terei dono

Levante-se agora mesmo, encontre um espelho, coloque o dedo em riste, e diga em voz alta:

Jamais terei dono!

10.8.16

jacare chamado ze

Nosso planeta é uma esfera gigantesca, com 13.000 km de diâmetro. Tem cinco continentes, muitos rios e oceanos, montanhas, cordilheiras e vulcões. Mais de duzentos países, quatro estações, e dez mil anos de História. Gira sobre si mesmo, aqui onde estamos, a cerca de 1.600 km por hora. Em volta do Sol, giramos a 80.000 km por hora. Cabem mais de um milhão de planetas Terra dentro do Sol, que por sua vez, gira a 700.000 km por hora em torno do núcleo da Galáxia. Ainda assim, o Sol é uma estrela pequenina, de quinta grandeza, apenas uma entre mais de duzentos bilhões de estrelas que existem, só na Via Láctea, que tem cerca de 100 anos luz de extensão — e que, por sua vez, é uma das menores galáxias que existem no Universo. E você ainda quer que eu gaste energia, me preocupando se o cotovelo de um certo ser humano — único dentre os sete bilhões que existem neste planeta — está ou não sendo tocado hoje por um jacaré chamado Zé?!

9.8.16

estrelas a bombordo

Eu abro caminho com estrelas a bombordo e com flores no infinito. Na vida, eu sempre me ligo a certas coisas e me desligo de outras. Fico cheio de tantas, e vazio de muitas. Um Mar Vermelho inteiro acaba de se abrir aqui agora mesmo à minha frente. E eu respiro como se ondas azuis inflassem de Deus o meu espírito em repouso. Tudo agora é muito claro para mim. Até o Céu se esclareceu. Aliás, se vou para o Norte ou se vou para o Sul — nunca mais saberei. Porque não é preciso mais saber, nos dois sentidos de saber e de preciso. Nada agora é mais urgente que viver Agora. Por isso que rasguei os meus mapas, quebrei meu relógio e joguei minha bússola... Acabei de me encontrar — e abracei meu coração. Apaixonei-me por Mim...

8.8.16

sonho lucido

Sonho lúcido é uma expressão que não denomina bem essa categoria de sonho. Prefiro chamá-lo de sonho consciente. Hoje tive um. É a terceira vez só neste ano. Mesmo assim, eu gostaria de ter tido muito mais. Preciso descobrir as razões que lhe dão origem. Outro ponto a considerar é que talvez eu tenha tido outros nesse período, mas só me lembro de três. Embora não concorde totalmente com a expressão, continuarei me referindo a eles como sonhos lúcidos. Não posso contar-lhes o tema recorrente nos meus, mas particularmente já escrevo a respeito. É uma coisa extremamente agradável. Uma delícia!

Eu recomendo este livro: Sonhos Lúcidos - Stephen LaBerge

7.8.16

jogo de xadrez

Quando você arrisca num determinado projeto, seja ele comercial ou amoroso, você calcula antecipadamente a probabilidade de vitória — ou joga a esmo, simplesmente?

5.8.16

oficio de ser louco

Eu me equilibro nesse ofício de ser solto, dançar sempre livre na corda bamba, saltar todas essas linhas sinuosas imprecisas e fazer com minha alma poética um gostoso desfile pelos versos desta vida. Eu sempre me equilibro neste desgovernado instante em que o mundo se desfaz em circo e o eterno se compõe trapézio. Neste inexato momento louco — racional e amoroso — em que só sei que não sei nada.

4.8.16

relacionamento

Um relacionamento amoroso só dá certo — e duuuuuura bastante — quando os dois amantes amam também a liberdade. Ou quando ambos a sacrificam, simultaneamente. Tem que haver um pacto. Ou ambos rejeitam a liberdade, ou ambos são livres. Pois, se apenas UM DELES amar realmente a liberdade, a coisa desanda — e a separação é fatal.

3.8.16

estatistica

Eu amo a Lógica, a Razão e a Teoria das Probabilidades. É por isso que nos meus projetos, que são todos racionais — inclusive os amorosos — eu sempre considero uma porcentagem de chance de NÃO darem certo. Geralmente, 1%.

2.8.16

triangulo amoroso

TRIÂNGULO AMOROSO

Às vezes me perguntam se um triângulo amoroso deixa cicatrizes. Minha resposta é Não. O que deixa cicatrizes não é a criação nem a vivência de um triângulo amoroso, que é sempre belíssimo, pois nos garante a máxima expressão da liberdade. O que deixa cicatrizes são os motivos que eventualmente nos levam a rompê-lo.

1.8.16

planos

Toda mudança requer um plano. Algumas vezes, plano esboçado numa pequena folha de papel, outras vezes, plano intuído no próprio cérebro de Deus. Mas a mudança mais gostosa é aquela que requer apenas um plano inclinado, amoroso, por onde a gente desliza sensualmente, como se o mundo fosse um enorme lençol de cetim... Desliza até a borda — e então salta na gostosura do belo e fascinante profundo azul da Liberdade.

31.7.16

primeiro

Aos dezessete anos, no Exército, ganhei todas as competições de montagem e desmontagem de fuzis. Depois, já como cabo preferido do sargento, fui campeão de tiro a longa distância. De que isso me serviu, podem perguntar. Serviu-me, entre outras coisas, para tirar duas grandes conclusões. Pimeiro: quando fores forçado a fazer alguma coisa, faze-a de forma primorosa. Segundo: ser primeiro é uma delícia!

29.7.16

ultimo dia de vida

Imagine que hoje é o teu último dia de vida. Faça tudo o que você mais gostaria de fazer hoje — antes de morrer. Dê um pouco de atenção àquilo que realmente importa. Desfaça-se de tudo que não presta. Jogue fora todas as quinquilharias. Desapegue-se das bugigangas. Despreocupe-se.

E viva!