26.9.16

mudanxar

Eu vivo a deliciosa incerteza a cada instante. E exceto a defesa radical da Liberdade absoluta, não tenho convicções inabaláveis. Não creio em destino. Adoro varandas. Construo jardins...

A vida é incerta. Uma corda bamba de seda à beira do abismo me excita. Eu não quero ordens — eu quero música. Ninguém me prende, ninguém me dirige, ninguém me controla. Não aceito invasões. Ninguém pode viver minha vida em meu nome. Não terceirizo as minhas emoções. Não estou à venda. Sou eu que faço as minhas escolhas.

Sou livre.

E quero que você também seja!

25.9.16

primeira transa

A Primeira Noite de um Menino.

Quando a primeira paixão da minha vida começou a incendiar-me o peito, tornei-me um serzinho sensual e amoroso full-time. Transformei meu coração num sol inesgotável, e pensei que todas as meninas e mulheres do mundo se chamariam Marina.

Eu tinha sete anos — completíssimos!

24.9.16

23.9.16

primavera

Nesta primavera
vou encher de flores vermelhas
todos os meus vasos
sanguíneos.

22.9.16

salvar o corpo

(...) Acontece que não dá para salvar a alma sem antes salvar o corpo. E o que mais excita o ser humano livre é a possibilidade aberta de uma nova vida. Foi por isso que o meu bisavô deixou que a rebeldia lhe subisse à flor da pele. Num certo fim de ano ele tomou aquelas decisões que só os corajosos conseguem tomar: montou o cavalo negro do risco absoluto — e partiu!

Pois ele também já sabia que o único crime que não tem perdão é desperdiçar a vida. Então, abandonou TUDO, para não ter que abandonar a própria existência naqueles caminhos já percorridos. Trocou um milhão de verdades antigas por uma pequena mochila de sonhos. Jogou fora o velho baú de premissas usadas, abraçou algumas dúvidas gostosas, quebrou as algemas — e caiu na Vida.

Não fosse por isso, eu não teria nem nascido — e não estaria aqui, agora, à beira do mar, tomando um belo copo de vinho branco e contando essas coisas pra você. Sou portanto bisneto da rebeldia. Sou bisneto da rebeldia, neto da emoção, filho da loucura, irmão do desejo, primo do prazer, amigo da liberdade, e amante de todos os meus amores. E existo, por incrível que pareça. No céu da minha boca não há fogos de artifício...

Só estrelas!

21.9.16

perfume no travesseiro

Ontem à noite eu percebi que Joyce Ann, sussurrando como se rezasse, fez uma longa declaração de amor ao meu travesseiro preferido, azul clarinho. Depois de abraçá-lo com ternura e beijá-lo várias vezes, ela derramou duas gotinhas de perfume sobre ele, e foi colocá-lo delicadamente em minha cama. Por isso é que, mais tarde, quando me deitei, sozinho no meu quarto, fui envolvido nas palavras todas que ela deve lhe ter dito, e sonhei antes mesmo de fechar meus olhos...

Se você ainda não viveu um grande amor assim, saia correndo agora mesmo em busca dele.

20.9.16

minhas influencias

O louco tem que ser lúcido. Mas essa minha concepção de Loucura não nasceu ao acaso, nem é fruto de uma simples rebeldia adolescente. Ela se deve à educação libertária que me deram minha Mãe e minha vó Vitalina, além de ser baseada na minha formação filosófica poética, e na leitura muito séria e consistente de quase toda a obra de Ronald Laing, Artaud, Henry Miller, Espinosa e Nietzsche, entre outros. Portanto, eu, pessoalmente, não mereço nenhum respeito — mas o que eu digo, sim.

Fui também influenciado por Nhô Mané, um negro velho contador de histórias que trabalhava no sítio do meu pai, e por Nhá Marica, aquela cujos seios eram chupados por uma cascavel, e que viu três ou quatro vezes o saci-pererê andando ao lado dela, no meio do mato. Também me influenciaram, claro, Nietzsche, Platão, Aristóteles, Sartre, Osho, meu pai, meus professores etc. Mas, principalmente, recebi influências maravilhosas de todos esses meus amores infinitos — que dançam comigo todo dia, à beira desse abismo delicioso em que a vida se transforma...

16.9.16

rolling stones

Rolling Stones

As pedras rolantes são polidas pela própria natureza.

Pedra que não rola fica bruta. Cria musgo. Portanto, seja natural. Deixe-se rolar, livremente. Não estacione. Siga o curso sinuoso das águas vivas. Seja fluente na correnteza da vida. A felicidade é líquida. O verbo é um fluxo. A palavra amor é vibrante. Quem não muda não fala. Quem não muda não dança. Mude. Grite. Dance. Voe.

15.9.16

produto do teu trigo

Sigo só o sinal que não aponta, e que partiu de dentro do meu próprio peito. Estou aqui, nesta madrugante conjunção de fatores, escrevendo, olhando o mar, ouvindo corruíras, pardais e bem-te-vis, uma algazarra de sons por sobre as ondas, tomando café com amor, e pensando nessa mulher que me gerou, Iracy. Saudades me cobrem os olhos. Ela sabe fazer pão recheado com queijo branco. Ela mesma escolhe o trigo, prepara a massa com a magia das próprias mãos. Ainda de madrugada, ela fica fazendo o pão e cantando baixinho, como se fosse um mantra. Agora mesmo um tiziuzinho pousou ali no canto do terraço e ficou me olhando, cantou três vezes e foi-se embora. Mas deu tempo de dizer-lhe que vá contar à minha Mãe, lá em Itararé, que estou aqui, pensando nela. Você sabia que o tiziu sempre salta quando canta? Se não me engano, se for preto é macho e se for esverdeadinho é fêmea. Lindo pássaro. Canta saltitando. E fico pensando: Será que o salto precede o canto, ou será que o canto precede o salto? Não sei... Só sei, Mãe, é que o pão que me alimenta é um produto do teu trigo.

14.9.16

vizinhos

Quando meus vizinhos me veem dançando, sozinho e descalço, ouvindo Vangelis, com uma taça de vinho branco na mão esquerda, um livro aberto na mão direita, numa quarta-feira às três da tarde — eles ficam impressionados...
Mas não deveriam:
É a Vida!

13.9.16

araras

As araras amazônicas podem viver até setenta anos, quando em cativeiro. Mas, soltas no seu habitat, vivem em média apenas trinta e cinco. Como se pode concluir, também no caso das araras, quem vive em liberdade corre mais riscos. Além disso, a gaiola oferece alguns confortos que a vida livre não dá. Então eu te pergunto: se você fosse uma arara, escolheria viver trinta e cinco anos em liberdade — ou setenta em cativeiro?

E se você não fosse uma arara?

11.9.16

grandezas no meu peito

Eu me orgulho muito das grandezas que tenho agora no meu peito. E não lamento já ter gasto todo meu estoque de humildade. Há séculos.

10.9.16

eclesiastes 12

Lembra-te do Criador, ó meu amor,
Antes que Ele venha te buscar,
Antes que cheguem os anos em que digas:
Começo a me cansar;
Antes que se escureça o sol,
e que a luz se apague,
Antes que a lua clame,
Antes que as estrelas pisquem,
Antes que a chuva caia;
Antes que tremam os guardas da casa forte,
Antes que cessem os moedores, por serem poucos,
Antes que se ceguem os olhos das tuas janelas;
Antes que as portas do mundo se fechem
por causa do som ausente da moedura,
Antes que se levantem as vozes das aves livres,
Antes que as filhas da música se abatam todas;
Antes que passes a temer o alto,
Antes que o caminho te amedronte,
Antes que floresça a amendoeira,
Antes que o gafanhoto te seja um peso,
Antes que te pereça o apetite;
Antes que os pranteadores te rodeiem pela praça;
Antes que se rompa o cordão de prata,
Antes que se quebre o copo de ouro,
e se despedace o cântaro junto à fonte;
Antes que se quebre a roda à beira do poço,
Antes que em pó à terra voltes, meu amor,
— faze com que teu espírito se volte a Deus.

Edson Marques. Projeto Bíblia Poética.
Recriando o Eclesiastes 12.1-7.

Para ouvir a gravação ainda experimental click AQUI.

9.9.16

sinfonia do universo

Eu consegui captar a sinfonia maravilhosa do Universo — e sempre danço de acordo com ela. Nem percebo mais esse barulho enorme que o mundo faz.

8.9.16

mae atomica

QUEM NÃO AMA A SUA PRÓPRIA MÃE NÃO AMA A SUA PRÓPRIA ORIGEM.

A razão talvez seja porque, de certo modo, foi levado a perder as suas bases amorosas mais diretas. Perdeu sua mais importante referência primordial. Perdeu seu principal elemento fundador das emoções. Deslocou-se, psicologicamente. Desligou-se da Fonte. É grave. Se for o teu caso — espero que não seja — não adianta dar um maravilhoso presente de natal à sua mãe. Não adianta forjar um acordo, não adianta mentir pra Deus. Recomendo terapia. Mas nem sempre a terapia resolve, pois depende muito do estágio a que o distúrbio chegou. E quando eu falo em terapia quero dizer psicanálise. Remédios químicos só atacam os efeitos, só mascaram soluções...



Não adianta procurar sobre isso na internet ou nos livros de psicologia: é uma teoria arriscada, ousada, mas exclusivamente minha. Só tem no livro Manual da Separação. Esta teoria é cientificamente fundamentada em Freud (que deve ter se baseado em Nietzsche, etc.). Bom ressaltar que eu aqui não me refiro a eventuais castigos de Deus ou bobagens do gênero. É só o inconsciente fazendo estragos. Ou corrigindo as coisas...

7.9.16

independencia

Viva a Independência.
A dos países e a das pessoas.
A independência política, a financeira, e a emocional.
A do Corpo e a do Espírito.
A dos amigos — e a dos amores.

Só é livre quem for independente.

PORTANTO, INDEPENDÊNCIA — OU MORTE!

6.9.16

atomo

Entender o átomo é mais difícil do que entender a Galáxia. Faz uns dois ou três anos que ando estudando Física Quântica. Mas o átomo parece muito grande para entrar na minha cabeça... O átomo talvez contenha Deus naquele espaço enorme que existe entre o núcleo e os elétrons. Eu quero descobrir onde fica o espírito santo do átomo. Passo noites inteiras lendo, pesquisando e rabiscando. Descobri que Deus, antes de criar o mundo, criou a Tabela Periódica. E acabo me lembrando do meu professor de Química lá no colegial, Pedro Pinto — que também era poeta. Mas vejo que minha ignorância nas coisas do átomo ainda é enorme. Talvez maior até que a própria Via Láctea... Como eu disse nessa folha cuja imagem publico ao lado (click nela), se eu não entender nem mesmo o átomo, vou entender o quê?

5.9.16

jesus caminho

Um poeta filósofo como eu, falando de Jesus, pode te chocar, mas é que também gosto muito da Mitologia Cristã. O que desaprovo, radicalmente, é a utilização primária dessa mitologia por uma certa classe de aproveitadores com o principal objetivo de fundar uma Igreja e arrecadar fundos — mas essa é outra história.

Para mim, Jesus é o Caminho para o Reino de Deus — e esse reino é a Liberdade Total. Se Jesus é a Verdade e o Exemplo, então deveríamos obviamente segui-lo. Mas, em vez de percorrê-lo, nós destruímos esse Caminho — exatamente para que ninguém mais consiga passar por ele. Matamos esse Exemplo não só para que nós mesmos não alcancemos o Céu (ou "Reino de Deus", que aliás está dentro do nosso próprio peito), mas também para que ninguém mais o alcance. Nós apagamos essa trilha para que todos se percam. Para que todos desperdicem essa maravilhosa possibilidade de Salvação...

E quando eu digo "Nós" — vocês sabem a quem me refiro.

4.9.16

espirito sopro

Eu concluí que o Universo tinha que abrir espaços maiores e melhores para os meus sonhos... E como estava demorando muito (eu já tinha treze anos), armei-me de princípios racionais profundamente amorosos — e minha alma passou então a ter o poder do Sopro. Virou Espírito.

Santo.

2.9.16

natureza da paixao

Paixões que se dizem eternas são mentirosas. Enganam a vítima. São apenas pedras frias que trazem frustração e tristeza, e nas quais tropeçamos. Acabam se tornando insuportáveis. Ao contrário, as paixões verdadeiras, as deliciosas — as passageiras! — só nos dão prazer e alegria. Mas tem gente que pretende transformar as passageiras em duradouras. Apaixona-se em novembro, e já quer fazer planos para o Natal... É a consagração da insegurança. O abandono do Princípio da Incerteza. O medo do risco e da perda. Ora, se nossa primeira paixão já fosse eterna, teríamos uma só — pelo resto da vida... Já imaginou a chatice?

A natureza da Paixão é ser fugaz. Esticá-la no tempo é torná-la insossa e rarefeita.

Eu gosto de dizer que as paixões devem ter o brilho de um relâmpago — e a mesma duração. Relâmpagos não ficam acesos para sempre. Você vive um, e em seguida risca outro! Mas, não se preocupe: ninguém é obrigado a amar o risco e ser brilhante todo dia.

1.9.16

schrodinger


Hoje a minha homenagem a Erwin Schrödinger, o genial cientista que contribuiu para a física quântica, e escreveu o belíssimo livro O que é a Vida?, em 1944. Onde ele, entre outras coisas, diz que
"a singular engrenagem (o cromossomo) não é de grosseira manufatura humana, mas a mais requintada obra-prima já conseguida pelas leis da mecânica quântica do Senhor." (página 95). Ou seja, o exemplo mais fascinante do projeto do arquiteto e da perícia do construtor numa coisa só. Acho que ainda vou adotá-lo como patrono espiritual da minha visão profundamente materialista da Vida.

31.8.16

psicologia

Você já viu alguém discutir física nuclear ou lógica formal sem antes estudar o assunto? Sistema linfático, mecânica quântica, direito internacional, eletrônica, matemática, cosmologia, navegação marítima? Claro que não! Pois, para tudo — as pessoas têm que se preparar. Também não me consta que alguém opine sobre como fazer um balancete sem ter estudado contabilidade. Bem como impossível calcular estruturas geodésicas sem estudar engenharia. E assim por diante...

Então, por que é que em Psicologia certas pessoas se acham no direito de sair emitindo opiniões (em público) sem um mínimo de preparo intelectual? Querem falar de relações amorosas sem ter lido sequer um livrinho de Freud? Querem debater sobre família, casamentos e namoros, culpa, raiva, ciúmes e complexos, só com base na sua própria (in) experiência? Sem ter lido nem Reich, nem Moreno, nem Perls, nem Alexander Lowen, nem Karen Horney, nem Osho, nem Gaiarsa? Bom lembrar que, mesmo em Psicologia, quem emite opiniões sem o respectivo preparo corre o risco de não ser muito respeitado. Melhor não arriscar...

29.8.16

barco a deriva

Adoro viajar neste maravilhoso barco à deriva que virou minha vida. Sem bússola e sem mapas. Mas também sem medo e sem pressa — e isso faz toda a diferença. Para escrever meu destino, aprendi a ler os sinais que vêm do céu e os sinais que vêm das ondas. Quase sempre eu me guio pela experiência divina, pela Lógica, pelo vento, e pela Lei das Probabilidades. E se até hoje não me afundei, nunca mais me afundarei.