11.5.08

minha mae


Como se pode notar, eu sempre me alimento de Amor e de Mãe, de risco e paixão, de glória e loucura, poesia e mulher. E liberdade — é claro.

Mãe, eu queria tanto estar hoje de novo em teu colo... Só pra dizer: Te amo!

4 comentários:

Edson Marques disse...

Uma coisa interessante: eu e minha Mãe nunca brigamos. Nunca. Desde a minha infância. Nenhum puxão de orelhas, nenhum tapinha, nenhuma repreensão. Éramos livres, eu e ela. Aliás, ainda somos.

Este mês irei visitá-la, do modo tradicional.

Claro que isso gera um certo ciúme nos outros personagens da história da família. Mas, não há o que se fazer: é a Vida...

VIDA E LIBERDADE disse...

Sinta-se no colo dela quando tiver vontade...poeta... Ela está sempre disponível para o filho que ela ama incondicionalmente!

Beijos....
Te adoro, poeta!

Edson Marques disse...

Link para este post:
http://mude.blogspot.com.br/2008/05/minha-mae.html
Pensando Nela!

cleide disse...

o que faço pra libertar minha familia da escravidao emocional?