29.7.17

desaforo

Eu não considero desaforo aquilo que um idiota diz a meu respeito.



"Eu não levo desaforos pra casa". Quem repete essa frase deve ser só um insensato. Um papagaio de aluguel, potencialmente estressado e sem assunto. Em vez de citar Nietzsche ou Machado de Assis, profere uma insolência. Quem costuma reafirmar o seu caráter pessoal pronunciando tal besteira, já se mostra petulante, atrevido, inconsequente. Generaliza demais, ofende a Lógica e maltrata a Razão. Afinal, o que é um desaforo? Um insulto — podem dizer. Mas, um insulto praticado por quem, contra quem, sobre qual tema, e com qual objetivo? Aliás, para merecer tamanha reação apriorística, deve ser um impropério astronômico... Pois, se assim não for, por que deveríamos gastar tempo e energia com tal coisinha? Portanto, eu te pergunto: qual o teu conceito de desaforo? Qual a importância que tem para tua vida o fato de existir um desgraçado qualquer que te xinga ou "desrespeita"? Quanta verdade, quanta lógica pode haver numa sentença pronunciada por boca irracional? Quanta relevância tem, para você, uma determinada coisa, ao ponto de conceder a ela o poder de causar alterações no teu metabolismo, desviando muitas funções realmente vitais, só para produzir uma carga enorme de hormônios e soluços? Meu conselho: leve alguns "desaforos" pra casa... Ou não mais considere desaforo aquilo que um ignorante qualquer diz a teu respeito.

Um comentário:

Edson Marques disse...


Leve alguns "desaforos" para casa!

http://mude.blogspot.com.br/2017/07/desaforo.html