1.3.15

barco a deriva

Adoro viajar neste barco à deriva que virou minha vida. Sem bússola e sem mapas. Mas também sem medo e sem pressa — e isso faz toda a diferença. Para escrever meu destino, aprendi a ler os sinais que vêm do céu e os sinais que vêm das ondas. Quase sempre eu me guio pela experiência divina e pelo vento contrário. E se até hoje não me afundei, nunca mais me afundarei.

4 comentários:

Edson Marques disse...


A vida é um barco à deriva...

http://mude.blogspot.com.br/2015/03/barco-deriva.html

Edson Marques disse...

Melhor ser feliz do que qualquer outra coisa.

Edson Marques disse...


Há dias em que é preciso que eu te perca inteiramente. É preciso que eu siga o que me pede o coração apaixonado — e o que suplica um novo grande amor aos pés da nova cama. Tua imagem, minha flor, fumaça escandalosa desprendida de si mesma, some em meio à volúpia da minha próxima lembrança. Então, te esqueço — carinhosamente. Mas, de repente, num voo alado de pássaro surpreso, entro em mim pra te buscar. Se te encontro, a busca me alucina intensamente, e se me encanto, ao contrário, é meu verbo que engravida o teu espanto.

Edson Marques disse...

Às vezes nós temos que desistir da nossa vida antiga. Das velhas relações. Das velhas emoções. Dos móveis quadrados que nos imobilizam... Porque às vezes a vida verdadeira está só na vida nova.