5.5.12

cotidiano

O dia de hoje é algo extraordinário. Faça dele um paraíso.
Este vídeo deve ser visto todo dia. Tem 2 min. Está em inglês, mas depois vou traduzi-lo.

9 comentários:

Edson Marques disse...

Acho que vou trocar o "pode ser" por é.
http://mude.blogspot.com.br/2012/05/cotidiano.html

Edson Marques disse...

O texto original, escrito há dias e já publicado no Facebook era assim:
O cotidiano pode ser algo extraordinário. Faça dele um paraíso.

Mas talvez eu altere um pouco para:
O dia de hoje é algo extraordinário. Faça dele um paraíso.
E colocar aquele vídeo...

É a vida.

Em Palavras disse...

Como fã, venho
convida-loa estrear meu blog como seguidor..
Tenho apenas
um texto postado,
porem logo muito se somarão a ele...
Ja o sigo aqui.

Edson Marques disse...

Fomos.
Adorar-te.

Expatriada disse...

Olá Edson! O poema encontrei no site O pensador! Aqui http://pensador.uol.com.br/frase/MTcxMzcx/ e pelo que vejo, vou ficar fã do teu blog. Quero saber mais, acho estranho, já encontrei trechos em outros sites, mas não me recordo e sempre como sendo da Clarice, que eu adoro.

Beijos e vou retificar lá no meu humilde bloguinho tá?

Expatriada disse...

Pq no video diz "O processo mude - de Clarice Lispctor? Agora estou confusa!

Expatriada disse...

Edson, encontrei novamente o texto como sendo da Clarice Lispector, com o trecho que encontrei no blog.
http://claricelispectorclarice.blogspot.pt/

Expatriada disse...

Pronto, pelo que li do teu e do dela, os textos são distintos, apenas a frase !Só o que está morto não muda! é que é idêntica. O restante, assim como o trecho que tenho parece ser mesmo dela. A propósito, eu conhecia o teu, mas não sabia nada a respeito do autor... Sempre gostei dessa parte... Mas comece devagar, porque a direção
é mais importante que a velocidade.
Beijinhos, penso que já estou esclarecida e afinal, não estava enganada quanto a Clarice. Mas valeu, me tornei tua fã.

Edson Marques disse...

Expatriada,

Deixei hoje este comentário lá no teu blog:


Agradeço pela visita e pelo modo elegante com que elogiou o meu blog. Só te peço que retire a frase "Só o que está morto não muda" desse texto publicado aqui. Nada tem a ver com Clarice Lispector. Como já te disse, é o final do meu poema Mude. Logo, não há porque ficar ligado a um texto (que talvez seja) de Clarice.

Nós, os escritores, temos o hábito de checar as fontes antes de publicar citações.

Quando puder, faça-me essa gentileza. E te espero para novas visitas e leituras. Especialmente, recomendo meu livro mais recente: Solidão a Mil.

Flores!