18.9.12

tem hora de saltar

Se não for agora, quando?

Tem hora de parar — e tem hora de partir,
tem hora de permanecer quieto e calado num canto,
e tem hora de cantar e de voar.
Agora,
agora não é hora de dobrar as asas,
nem de calar a voz,
nem de catar gravetos para fazer o ninho.
Agora não é hora de sentir remorsos,
nem de buscar consolo, nem de caiar o túmulo.

Agora que estou na beirada,
bêbado de alegria — pronto para o salto,
não me segure em nome de nada.
Não queira impedir-me dizendo que é muito cedo,
ou que é muito tarde,
ou que está escuro, é perigoso, muito alto,
muito fundo, muito longe...

Não!

Se você não puder incentivar-me para o salto,
ou até mesmo empurrar-me com amor em direção à Vida,
não me prenda, não me amarre.
Não envenene com teu medo a minha dança.
Seja só uma testemunha silenciosa desta vertigem.
Porque agora,
agora é hora de voar.
Agora é hora de abrir-me a todas as possibilidades.

E voar um voo livre e sem destino para dentro de mim mesmo!

8 comentários:

Edson Marques disse...

Eu gosto muito desse meu texto! Está no livro Beijos no Céu da Boca.
http://mude.blogspot.com.br/2012/09/tem-hora-de-saltar.html
É a vida!

12 meses de mudanças! disse...

Oi!
Muito lindo esse poema hein Edson!
O momento é esse...voar e abrir as possibilidades!
bj

Denilce Luca disse...

Maravilhoso! E julgo com sorte aquele que consegue perceber essas amarras e clamar por sua liberdade. Por vezes quem diz amar impõe todo o peso do mundo sobre o outro trazendo nada além de confusão, frustração e tristeza...

Ana Carla disse...

Muito ajuda quem não atrapalha. PERFEITO!

Edson Marques disse...

O ciúme é uma traição horrorosa — pois se manifesta falsamente sob a forma de amor.

Enigmático Byjotan disse...

Lindo esta proclamação a viagem interior, linda esta forma corajosa de se renovar e de se conhecer.Abraço carinhoso de leitor e fã.:- BYJOTAN.

Corpo Líquido disse...

MEU DEUS! Que combinações ortográficas incríveis!!! Que bela mensagem, agradecida!

Dilly Monnete disse...

Se não puder ajudar, não atrapalhe. simples.
Uma vez ouvi dizer que o maior abismo que há é aquele dentro de nós mesmos. Será que, saltando profundo assim, a gente consegue chegar ao fundo desse poço e acabar com essa distância a princípio intransponível entre nós e nós mesmos?
Bom, de qualquer maneira, às vezes a busca é mais interessante do que a resposta, e eu já entrei na roda, então agora é aproveitar ^^
Um abraço, Edson <3