4.8.12

selene no meu quarto

Sete vezes por mês ela vem me visitar. Religiosamente. Acabo de vê-la, nua, esparramada no chão do meu quarto, sensual, escandalosa. Ela entrou sem me avisar, fascinante, como sempre. E sempre que a vejo, logo penso em romance, poesia, paixão, alegria. Então, chamei a minha alma e deitei-me ao seu lado, delicadamente. Ela virou-se de repente e cobriu-me de si mesma, belíssima, sutil e elegante, toda iluminada de amor. Nossa relação não durou mais que dois ou três minutos, mas pareceu a própria eternidade. Ela então deslizou por sobre o meu corpo, cuidadosamente, e saiu por onde entrou — pela janela. E eu, agradecido, ainda ajoelhado, sussurrei: Volte sempre, meu Amor... Selene é o nome dela. Mais conhecida como Lua.

7 comentários:

Edson Marques disse...

Depois que ela se foi, às 05h32, ainda de madrugada, eu demorei cerca de uma hora para escrever esse texto. Ofereço-o a todos os meus amores livres. Especialmente, a Joyce Ann.

É a vida.

Edson Marques disse...

Baseado em fatos reais.
Amorosamente, enluaradamente reais...

My- Boa Sorte!!! disse...

E que aroma!

Ana Carla disse...

Selene sabe mudar!

Verso Aberto disse...

caramba!!!
belo amor de lua

muito bom seu blog
e os textos... proesias

parabéns
abs

Edson Marques disse...

Eu tinha escrito, no final: "Volte sempre, minha irmã..." - por causa da mitologia grega, onde Selene era irmã do Sol. Mas, como nem todos entenderiam, resolvi deixar assim:
Volte sempre, meu Amor...

Adoro mitologia grega!

ELANE, Mulher de fases! disse...

Q lindo!